Followers

Teoria da conspiração aponta que Du,Dudu e Edu estão mortos

17 maio, 2016
184 Shares 12884 Views

Du, Dudu e Edu foi um dos programas mais originais que a Cartoon Network criou no final dos anos 90. É um programa sobre três filhos (todos nomeados com alguma variação de Edward), que gastam muito tempo tentando enganar as outras crianças do seu bairro.

capa

E enquanto navegava pela interwebs achei essa teoria que propõe que todas as crianças no desenho estão realmente mortas , e o bairro em que vivem é o purgatório. Aí você pode pensar que essa teoria de “estar todo mundo morto” é bem batida – Caverna do Dragão que o diga – , então por que dessa vez ela estaria certa? Vamos aos fatos!

Iniciando pelas cores dos personagens nos já temos um aspecto cadavérico, sendo que em apenas algumas exceções – e você já vai saber o porquê a seguir – em que os personagens não são ilustrados com cores de defuntos. Entretanto, isso poderia ser uma opção do Criador de Arte do Desenho, que quis usar tais tons, assim, sem nenhuma ligação, apesar de que a composição leva a crer que ele tenha considerado algo no mínimo sinistro.
Prosseguindo em nossas divagações, temos o fato de não haver adultos no desenho. Você vê silhuetas vagas de adultos em algumas ocasiões, mas elas nunca se movem (um tanto perturbador se analisarmos, não?). A coisa mais próxima de um adulto que vamos observar é o irmão mais velho de Eddy, os quais se encontram a única vez na história de todo o desenho, quando eles saem de seu bairro (ou purgatório, se preferirem).
Esse irmão de Eddy é outra incógnita. Ele é um dos poucos personagens que não moram no bairro, aparece apenas uma vez ao longo da história do desenho – no filme produzido pela Cartoon – e ainda assim não tem o seu nome revelado. Além de que pra ficar mais bizarro, Eddy diz que ele o atormenta sempre. Tal circunstância indica que o irmão é um figura distante, que de tempos em tempos, aparece em visitas surpresas. E vem de um lugar muito mais sinistro: o inferno!
Tudo isso vai de acordo com uma antiga linha de uma religião gnóstica cristã, da Idade Média que provavelmente – caso a teoria esteja certa – foi a inspiração dos criadores do desenho. Essa religião medieval falava que o purgatório era um lugar neutro, nem bom, nem ruim, habitado por espíritos que ainda não haviam alcançado níveis de purificação para entrar no paraíso. E aí que as crianças entram: pela morte precoce, são encaminhadas ao purgatório na busca da ajuda mútua. Segundo a Gnose Cristã, aquele que permanece muito tempo no purgatório, aos poucos, vai perdendo sua identidade: a memória vai esvanecendo até que tudo que sobra é a sombra daquilo que fomos. Por isso as crianças não revelam o nome do irmão, não vê adultos senão meras sombras: as referências se foram, perdidas na neutralidade do pós-mundo.
Nota-se também que os personagens que tem cores diferente, não cadavéricas, como é o caso das irmãs Kankers, representam elementos na história que tem como objetivo, ou criar obstáculos ou ensinar a garotada do além. As irmãs Kankers, por exemplo, são de um lugar chamado de “Parques dos Trailers” localizado atrás do “Terreno Baldio”. Ao longo do desenho, alguns personagens dão à entender a localização desses locais: Parque dos Trailers fica na divisa do bairro com o que há depois, já o Terreno Baldio, fica entre o Beco sem saída – lugar aonde maior parte dos personagens moram – e o Parque dos Trailers. Muitos dos personagens não visitam o Terreno Baldio porque dizem que existem “monstros” por lá. Dadas as pistas, nesse ponto a teoria sugere que as irmãs Kankers, tanto pelo local aonde moram, tanto pelo comportamento, tanto pelas cores as quais usam para ilustra-las, não estão mortas e sequer pertencem ao purgatório – na realidade elas seriam seres responsáveis por atrapalhar o desenvolvimento das crianças, tal como demônios, levando-as à ficar cada vez mais tempo no purgatório.
E calma, isso não é tudo: a teoria também explica porque diabos em certos episódios as crianças usam tecnologias contemporâneas e em outros não! Segundo a teoria, cada criança da vizinhança haveria nascido em um período da história. Por esse motivo, em alguns episódios você assiste eles usando uma vitrola e em outro, um discman, ou ainda, em certo episódio usam máquinas de escrever e em outro, computadores.
Rolf, o garoto estranho com o inexplicável sotaque do Leste Europeu, morreu no início de 1900 em um acidente agrícola. Johnny, aquele cujo melhor amigo é uma prancha, vem de 1920, quando possuir um pedaço de madeira com um rosto pintado fez dele o garoto mais popular do bloco. Jimmy, o garoto doente com a pele amarelada, morreu de leucemia perto do ano 2000, e assim por diante.

1

Você até pode não acreditar mas, sendo verdade ou não, temos que reconhecer que quem criou essa teoria, ou acertou em cheio o que os desenvolvedores do desenho queriam passar ou é um fã com uma imaginação fantástica que foi capaz de encontrar uma explicação para cada detalhe esquisito e sem noção dessa série animada.

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade. Você será banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.