Followers

O horror do holocausto em cores

31 jan, 2020
4892 Views

O artista Tom Marshall é especialista em colorir fotos antigas, e em seu último projeto ele resolveu mostrar o horror do holocausto em cores.

As imagens são fortes, e ele relatou ter dificuldades em trabalhar nela, mas ele entende que elas servem como um lembrete severo da desumanidade do homem para com o homem.

O processo de coloração também foi diferente, pois essas pessoas estavam próximas da morte no momento de sua libertação; portanto, pintar tons de pele era totalmente diferente.

Veja as imagens e relembre um pouco do horror, agora em cores:

Crianças em Auschwitz

Crianças em Auschwitz, em um filme do soviético da libertação de Auschwitz, em janeiro de 1945.

Homens famintos em Ebensee

Esta foto mostra prisioneiros famintos, quase mortos de fome, posando em um campo de concentração em Ebensee, na Áustria.

Ebensee era um subcampo do campo principal ‘Mauthausen’ perto da cidade de mesmo nome. O campo foi usado por experimentos “científicos”. Foi libertado pela 80ª Divisão do Exército dos EUA.

Istvan Reiner

Istvan Reiner, 4 anos, sorri para um retrato de estúdio, pouco antes de ser assassinado no campo de concentração de Auschwitz.

Essa me cortou o coração mais do que qualquer outra :/

Resgate de Lager Nordhausen

Dois homens libertaram presos de Lager Nordhausen, um campo de concentração da Gestapo. O campo tinha de 3.000 a 4.000 internos. Todos foram maltratados, espancados e estavam famintos.

Uma menina de 18 anos

Uma garota russa de 18 anos de idade durante a libertação do campo de concentração de Dachau em 1945. Dachau foi o primeiro campo de concentração alemão, aberto em 1933.

Mais de 200.000 pessoas foram detidas entre 1933 e 1945, e 31.591 mortes foram declaradas, a maioria por doenças, desnutrição e suicídio. Ao contrário de Auschwitz, Dachau não era explicitamente um campo de extermínio, mas as condições eram tão horríveis que centenas morriam toda semana.

Um esqueleto vivo

Esse homem parece um esqueleto vivo, um dos muitos prisioneiros do campo de concentração de Ebensee na Áustria.

Queimadura Bergen-Belsen

O fotógrafo Charles Martin King Parsons, bisavô do colorista, tirou esta foto em abril de 1945.

O campo estava repleto de tifo e, depois que retiraram os prisioneiros sobreviventes das grandes cabanas de madeira elas foram queimadas até maio de 1945.

Tirada por C.M.K. Parsons

Como muitas pessoas afetadas pelos horrores que viram durante a guerra, o bisavô de Tom nunca falou sobre suas experiências em Bergen-Belsen e essas fotos mostram o porquê.

Ele também tirou uma série de fotos, incluindo as valas comuns em torno de Belsen. Essas fotos podem ser vistas aqui .

Mulher em Bergen-Belsen

Uma das vítimas em Bergen-Belsen era essa jovem, com o rosto ainda com as cicatrizes de uma terrível surra dos guardas da SS.

Sobrevivente do Holocausto

É difícil encontrar alguma esperança ao ver os horrores dessas fotos, mas esta mostra um dos sobreviventes do Holocausto.

Um jovem refugiado judeu, resgatado de um campo de concentração, descansando em uma cama de hospital em Malmö, sul da Suécia, em 1945.

Em cores, podemos ver os ossos e a pele pálida, e até os jovens parecem mais velhos, com cabelos grisalhos e manchas escuras ao redor dos olhos.

Lembrar para nunca esquecer o que somos capazes de fazer com nossos semelhantes.

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade. Você será banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.