Followers

Mãe se reúne com filha falecida através da Realidade Virtual

A Realidade virtual está em constante avanço, e embora as primeiras tentativas disponíveis para os consumidores tenham sido feitas no início da década de 90, a ideia e a tecnologia não ganharam o coração do público até meados de 2010.

No entanto, a ideia já estava sendo prevista nos anos 50, quando Morton Heilig, cineasta e pioneiro da tecnologia de realidade virtual, escreveu sobre o Experience Theatre como uma máquina que poderia estimular todos os sentidos humanos.

Enquanto muitos conversavam sobre como as mídias seriam mais atraentes, outros se concentraram em outros usos mais práticos da RV.

Mais do que simular treinamento militar, a realidade virtual provou ser muito útil nas áreas de medicina e saúde mental.

UMA COREANA USOU A REALIDADE VIRTUAL PARA VER MAIS UMA VEZ A FILHA QUE MORREU HÁ QUATRO ANOS

Um programa de televisão coreano chamado Meeting You recentemente transmitiu uma matéria sobre uma mãe Jang Ji-sung.

Ela perdeu sua filha de 7 anos, Nayeon, por uma doença muito rara e desconhecida em 2016.

Através do poder da realidade virtual, ela se reuniu com a filha e conseguiu usar o tempo conversando e interagindo com ela.

A Munhwa Broadcasting Corporation (MBC), a empresa de televisão por trás do programa Meeting You, projetou todo o cenário de realidade virtual visto no vídeo, prestando atenção extra ao projetar o rosto, o corpo e a voz de Nayeon para serem o mais precisos possível.

TODA A INTERAÇÃO DELES FOI TELEVISIONADA NO PROGRAMA SUL-COREANO CHAMADO MEETING YOU

Mãe e filha passaram o tempo juntos conversando e interagindo durante o programa todo.

As duas deram as mãos, colheram flores, posaram para fotos e até comemoraram o aniversário de Nayeon.

Nayeon fez alguns desejos bem específicos: que o pai parasse de fumar, que o irmão e a irmã mais velhos não brigassem, que a irmã mais nova não adoecesse e que a mãe não chorasse.

AS DUAS CONVERSARAM, DERAM AS MÃOS, COLHERAM FLORES E ATÉ COMEMORARAM O ANIVERSÁRIO DA GAROTINHA

Durante toda a visita, Jang Ji-sung e sua família, que estavam assistindo do lado de fora, estavam emocionados.

O pai relembrou como Nayeon gostava dos bolos de arroz e o quanto ela quis comê-los no hospital.

O vídeo terminou com Nayeon lendo uma carta para sua mãe.

“Mãe, estamos sempre juntas, certo? Da próxima vez que nos encontrarmos, vamos nos divertir muito, ok? Eu vou amar e lembrar de você.” Então ela pediu a Jang Ji-sung para ficar com ela ao lado da cama até que adormecesse e se transformasse em uma borboleta branca brilhante.

A MÃE DE 3 FILHOS EXPLICOU QUE ACEITOU FAZER PARTE DESTA EXPERIÊNCIA PARA AJUDAR OUTRAS PESSOAS A PASSAR PELA PERDA DE UM ENTE QUERIDO

O vídeo se tornou viral, obtendo quase 10 milhões de visualizações, com 120.000 votos positivos desde sua publicação no YouTube.

Enquanto a maioria das pessoas achava a experiência completamente legal e ficava espantada com o quão positivamente a tecnologia VR pode ser usada para ajudar as pessoas a diminuírem o sofrimento, outras notaram o potencial risco de se tornar um vício, de pessoas que não conseguem aceitar a morte e o quanto isso poderia impedir o processo de luto.

Outros também argumentaram a ética e a moral por trás de toda a situação.

Mas todos os envolvidos sabiam a situação em que estavam, que seria televisionado e a questão permanece situacional.

AQUI ESTÁ O VÍDEO COMPLETO DETALHANDO TODA A INTERAÇÃO

E você, o que acha desta utilização da evolução tecnológica?

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade. Você será banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.