Followers

Ex-alunos criam vaquinha para quitar dívidas de professor que dava bolsas de estudos

14 dez, 2017
3441 Views

Você provavelmente já ouviu falar que nós colhemos o que plantamos. E esta história emocionante é uma prova concreta disto!

Durante quase vinte anos, o professor Maurício Barroso manteve um cursinho em Petrópolis, no Rio de Janeiro, para ajudar seus alunos a se prepararem para os vestibulares de universidades públicas.

Graduado em Engenharia, ele passou vários anos dando aulas até realizar o sonho do negócio próprio. Mas o mais legal, é que sempre que necessário, Maurício dava bolsas de estudos para aqueles que não podiam pagar a mensalidade, e ainda oferecia aulas particulares GRATUITAS quando era necessário.

Porém, a vocação para administrar não era a mesma para ensinar, e o professor acabou se endividando muito. Hoje, aos 82 anos, os valores acumulados somam aproximadamente 100 mil reais, que comprometem seu orçamento que recebe de aposentadoria.

Mas como dito na chamada deste post, a gente colhe o que planta. E seu legado foi tão forte que comoveu uma rede de ex-alunos super dispostos a ajudar!

“Enquanto diziam que eu não ia conseguir e que era para desistir, o professor, por outro lado, afirmava que eu era muito capaz, que ainda ia me ver formada. Ele dizia para eu não desistir dos meus sonhos e me fez acreditar que iria passar para uma Universidade Federal”, contou Eva Maricato ao G1.

Ela é uma das responsáveis pelo Projeto Reconhecimento Mestre Maurício Barroso, que já colocou 500 alunos em contato para ajudá-lo a entender e lidar com as dívidas, inclusive organizando uma grande vaquinha.

Mais de 25 mil reais já foram arrecadados. O Cursinho de Maurício foi vendido em 2015, mas ele afirma não ter recebido nada pela transação, o que atrapalhou ainda mais sua vida financeira. Hoje, 50% do que recebe por mês é destinado à tentativa de quitar as dívidas.

Se quiser conhece um pouco mais sobre a história ou contribuir com a arrecadação de fundos, acesse a página da vaquinha.

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade. Você será banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.