no

Do Setembro Amarelo para nossa vida

Setembro Amarelo é uma campanha de prevenção ao suicídio.

Tratar deste tema é algo delicado, mas é preciso, justamente para que a campanha tenha sentido.

Não é apenas durante a campanha de Setembro Amarelo que devemos ter empatia e acolher as pessoas ao nosso redor.

Esta deve ser uma pratica diária, buscando olhar com mais humanidade para o outro.

Hoje nós vamos falar sobre as reflexões levantadas no Setembro Amarelo que devemos levar para nossa vida.

Setembro Amarelo e a empatia

Abordar um tema em forma de campanha gera nas pessoas uma grande empatia.

Isso porque normalmente o tema da campanha é amplamente debatido nas redes sociais e na TV.

Ou seja, as pessoas passam a conviver com esses temas em todas as mídias que elas consomem, o que é ótimo.

Isso tudo gera nas pessoas uma empatia pela causa e pelas pessoas que passam por isso.

Mas, no caso da prevenção ao suicídio estamos falando de algo que precisa de uma manutenção diária.

Precisamos nos policiar e atentar para as pessoas ao nosso redor e a forma como as

tratamos e fazemos sentir.

Isso porque prevenir o suicídio é também compreender os transtornos psicológicos e

buscar acolhe-los de forma saudável.

O que demos fazer então? Tratar todos a nossa volta com empatia.

Não precisamos gostar de todos que estão a nossa volta, mas tratá-los com respeito e empatia.

Sempre fazendo valer a regra de que devo tratar o outro como eu gostaria de ser tratado.

Prevenção ao suicídio e política

Como tudo em nossas vida, a prevenção ao suicídio também está ligada a política.

Apesar de esse não ser o foco principal da campanha Setembro Amarelo, levantar essa

pauta é muito importante.

A política é o que regula a economia e a economia impacta de forma direta na

qualidade da saúde mental de todos nós.

Ou seja, falar de prevenção aos suicídio é também falar de condições melhores de vida.

Melhores condições de moradia, melhores condições de emprego, melhores condições de alimentação.

Tudo isso são coisas que dependem da política para manter em ordem nossa saúde mental.

Neste texto não nos aprofundamos nas questões mais subjetivas do tema por

acreditarmos que isso deve ser abordado por um profissional da psicologia.

Você encontra mais informações sobre o tema no site do Setembro Amarelo clicando aqui.

Se precisar de ajuda procure um psicólogo, saúde mental é coisa séria.

O que você acha?

Written by Lua Koepsel

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0
Coisas que você não sabia sobre o seu cérebro

5 coisas que você não sabia sobre seu cérebro

Música conquista o mundo dos eSports