Followers

Conheça os nazistas que desafiaram Hitler para defender a China do Japão

09 fev, 2018
43 Shares 1237 Views

Antes do início do que chamamos de Segunda Guerra Mundial o Partido Nazista colocou empresários, diplomatas e comandantes militares na China, e acampamentos da Juventude Hitlerista foram instalados em todo o país.

A juventude de Hitler desvela um acampamento novo. Xangai, China, data não especificada. Foto: Bundesarchiv.

Parecia que uma forte aliança estava acontecendo entre a Alemanha e a China, mas tudo mudou a partir de 1937: As tropas japonesas invadiram a China e fizeram terríveis massacres. Isso chamou a atenção de Hitler, que logo desfez sua aliança com a China para apoiar o Japão – devido aos seus recursos agressivos.

O político chinês Kung Hsiang-hsi, uma figura importante no governo chinês do Kuomintang, posa para uma foto com Adolf Hitler. Kung viajou para a Alemanha para recrutar a ajuda de Hitler na guerra contra o Japão. Berlim, Alemanha, 1936. Foto: Wikimedia Commons.

Depois disso, os comandantes alemães foram instruídos a desocupar a China em respeito aos seus novos aliados. O que ele não esperava era que nem todos obedeceram suas ordens. Vários nazistas se recusaram a deixar o país, com destaque aos comandantes Alexander von Falkenhausen e John Rabe, que optaram por arriscar suas próprias vidas para defender os cidadãos chineses.

Alexander von Falkenhausen. Berlim, Alemanha, 1940. Foto: Bundesarchiv.

O Partido nazista forçou Alexander a retornar à Alemanha, ameaçando torturar seus familiares por deslealdade. Porém, antes de retornar, ele se sentou com o general Chinês Chiang Kai-shek para montar planos para operações contra os japoneses.

John Rabe (terceiro da esquerda) e os organizadores da Zona de Segurança de Nanking: Ernest Forster, W. Plumer Mills, Lewis Smythe e George Fitch. Nanking, China, 1938. Foto: Wikimedia Commons.

Com a partida de Alexander, as esperanças dos chineses se voltaram para John, que documentou as diversas atrocidades que aconteceram nos tempos seguintes. Em seu retorno à Alemanha, com seus materiais em mãos, John mostrou suas fotos e filmes do Massacre de Nanking a Hitler, na esperança de que ele se convencesse a aliar-se novamente aos chineses- porém, ele tomou as atrocidades japonesas como um sinal de força.

Tropas japonesas em Nanking: “A guerra japonesa da agressão.” China. 1938. Foto: Bundesarchiv.

Ele se tornou aliado dos japoneses e logo começou uma guerra na Europa que faria da bandeira nazista o símbolo da única pureza que Hitler conseguiu alcançar: a pura violência.

Via:

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de sua responsabilidade. Você será banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.