no

6 hábitos que prejudicam o cérebro

hábitos que prejudicam o cérebro

Descubra 6 hábitos que prejudicam o cérebro e que talvez você queira abandonar.

86 bilhões. Esse é o número de células que seu cérebro possui, e basicamente ele faz o trabalho de controlar nosso corpo todo. Essa é a tarefa dele.

Então faz sentido gastar a maior parte do nosso tempo cuidando disso. Mas nós não fazemos isso.

Na verdade, a maioria nem pensa que o cérebro precisa de cuidados. Os especialistas determinaram que nosso estilo de vida moderno está destruindo nossos caminhos neurais, tornando-nos mais lentos, mais burros e menos criativos.

Para consertar isso, precisamos estar cientes dos maus hábitos que adquirimos. E estarmos dispostos para abandoná-los.

Muitos hábitos que prejudicam o cérebro podem ser um choque – pois fazemos isso de maneira tão natural que nem parece que pode nos afetar negativamente.

Vamos ver o que são.

1. O efeito desastroso da inatividade

Desde que o trabalho remoto se tornou mais frequente por conta da pandemia, muitas pessoas não saem de seus quartos.

Não é difícil conhecer pessoas que comem, bebem, dormem e trabalham no mesmo ambiente o dia todo.

O único exercício que essas pessoas fazem é conseguir mantimentos, que graças à tecnologia, também podem ser feitas através de delivery.

Quer eles percebam ou não, as consequências são graves. Ficar sentado por muito tempo está diretamente relacionado a doenças cardíacas, obesidade, depressão, demência e câncer. Mais do que isso, também muda certos neurônios do cérebro, para pior.

É hora de todos nós entendermos um fato simples – o movimento é bom. Ele libera endorfinas que nos fazem sentir melhor, mantém nosso coração saudável e faz nosso cérebro funcionar melhor.

Ficar sentado em excesso durante o trabalho nos faz prender a respiração enquanto digitamos em nossos computadores. Você mesmo pode perceber isso.

Isso leva à redução do oxigênio no corpo e resulta em pensamentos turvos, fadiga e falta de foco.

Como transformar este hábito?

inatividade e hábitos que prejudicam o cérebro

Bem, não estou dizendo para você ir à academia ou contratar um personal.

20-30 minutos de movimento é tudo de que você precisa. A popular regra de 10.000 passos também é um grande objetivo. Se você está pensando – “Eu não tenho tempo”, você está mentindo para si mesmo.

De grandes inventores como Nikola Tesla e Charles Darwin aos CEOs mais ocupados como Jobs, Zuckerberg, Jeff Weiner e Jack Dorsey, todos são fãs de caminhar .

Uma abordagem simples é andar e falar ao mesmo tempo. Atenda todas as ligações que puder e dê um passeio. Antes que perceba, você atingirá facilmente seu objetivo e não perderá tempo extra com isso.

Eu sei que você é inteligente o suficiente para entender os benefícios.

Você só precisa conseguir aplicar este novo hábito em sua vida. E com essas formas simples, não há desculpa para não fazer isso.

2. O assassino nº 1 da concentração

A quantidade de informações que passamos em um dia normal é surpreendente.

Em média, uma pessoa consome cerca de 34 gigabytes de dados e informações a cada dia – um aumento de cerca de 350% em quase três décadas – de acordo com um relatório da Universidade da Califórnia, San Diego.

Não é de se admirar – nosso assassino de concentração número um é a entrada sensorial constante.

Isso inclui e-mails, mídia social, falar com pessoas, notificações, reuniões e muito mais.

Se não administrarmos melhor o nosso consumo, isso pode facilmente levar à sobrecarga e sobrecarga de informações.

Algumas pessoas se orgulham do fato de poder ler um livro no trajeto em velocidade 3x e ouvir 2 podcasts enquanto checam e-mails, livros e notícias. Mas não há nada de que se orgulhar.

Mesmo um pequeno pedaço de informação pode atrapalhar o foco. Por exemplo, se você está tentando se concentrar em uma tarefa e sabe que existe um e-mail não lido em sua caixa de entrada, isso pode reduzir seu QI efetivo em 10 pontos.

Use ferramentas e processos para minimizar a quantidade de conteúdo que você consome diariamente.

Tente pegar menos conteúdo de formato curto e investir esse tempo na leitura de textos de formato longo.

Eles mantêm sua concentração e ajudam a melhorar o foco em vez de pular de um tweet para outro.

Elimine coisas inúteis como mídia social, notícias, fofocas e outras coisas que você não pode controlar ou que não têm nada a ver com você.

Aprenda a ficar em silêncio tão frequentemente quanto possível. A quietude e o silêncio acalmam a mente, o corpo e a alma.

Períodos regulares de silêncio são o único remédio para nosso consumo avassalador de conteúdo.

3. Música alta – um vilão silencioso

Quer seja malhar, caminhar ou fazer uma tarefa mundana como responder e-mails, todos nós ansiamos por uma boa música. E para mergulhar nas nossas melodias favoritas, invariavelmente aumentamos o volume.

Mas pasmem: sons muito altos prejudicam o cérebro!

No entanto, você pode querer pensar bem antes de fazer isso. Com o uso comum de fones de ouvido com cancelamento de ruído, você pode facilmente prejudicar sua audição.

Quando seus ouvidos se acostumam com um determinado volume, você precisa se esforçar mais para ouvir os sons normais das pessoas ao seu redor.

Assim, você não pode armazenar coisas em sua memória com rapidez suficiente.

Remova os fones de ouvido enquanto ouve e segure-os com o braço estendido. Se você ainda consegue ouvir a música, abaixe o volume e repita. Este é um bom teste para proteger seus ouvidos.

Além disso, faça pausas regulares se precisar ouvir música e dê um descanso tão necessário ao cérebro e aos ouvidos.

Mesmo sem fones de ouvido, tome cuidado para não estar em ambientes com música alta, como clubes, estúdios ou shows.

A música alta fere nosso cérebro de mais maneiras do que podemos imaginar. Então é melhor diminuir o volume – você ainda pode desfrutar da música que adora sem danificar seu cérebro.

4. Assistindo reality shows

Reality TV é comida lixo para o nosso cérebro, e da mesma forma que fast food não nos faz bem e nos deixa doentes, estes programas adoecem nosso cérebro e nos torna rudes”, diz a psiquiatra Dra. Marcia Sirota.

O que assistimos tem um efeito subconsciente definido sobre nós. Quando você sai de um teatro depois de assistir ao Capitão América, naturalmente se sente justo, altruísta e até patriótico. Agora imagine condicionar seu cérebro com o conteúdo lixo dos reality shows.

Com o passar do tempo, absorvemos dentro de nós as mesmas emoções e qualidades que vemos na tela.

Programas com conteúdos assim prejudicam o cérebro pela falta de esforço que fazemos ao assisti-los.

Posso saber muito sobre você intuitivamente pelo tipo de conteúdo que você assiste. Porque tem um efeito significativo em nossa consciência, humor e comportamento.

Assim como uma torneira pingando lentamente pode desperdiçar litros de água em um dia, você pode desperdiçar muito potencial do cérebro gastando tempo assistindo o tipo errado de conteúdo.

5. Fazendo o dobro do que deveria, metade do que poderia

Quer saber do que estou falando? É multitarefa.

A multitarefa está prejudicando sua concentração, uma interrupção por vez. E embora nos últimos anos, a multitarefa seja promovida como um traço desejado nas pessoas e frequentemente faz parte das descrições de cargos de muitas funções, não é uma coisa positiva…

No entanto, o fato é que os humanos não foram feitos para realizar multitarefas. Não podemos fazer duas coisas e dar igual atenção a ambas. Somente computadores podem fazer isso.

Clifford Nass, um professor de psicologia da Universidade de Stanford, diz que a multitarefa ininterrupta de hoje realmente perde mais tempo do que economiza – e ele diz que há evidências de que pode estar matando nossa concentração e criatividade também.

No início, ele ficou fascinado por pessoas que afirmavam ser capazes de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Essas pessoas devem ser realmente inteligentes, pensou ele.

No entanto, quando os estudou, descobriu que a realidade era o oposto. Eles foram espancados por seus colegas em todos os tipos de tarefas cognitivas e são “sugadores da irrelevância”. Ele também adicionou ,

“Pessoas que fazem multitarefas o tempo todo não conseguem filtrar a irrelevância. Não conseguem gerenciar uma memória de trabalho e estão cronicamente distraídos.

Quando pedimos a eles para realizarem várias tarefas, eles são realmente piores nisso.”

Mais uma vez provando que os excessos prejudicam o cérebro.

A pesquisa também descobriu que as pessoas que realizam multitarefas têm menos densidade no córtex cingulado anterior, uma região responsável pela empatia e pelo controle cognitivo e emocional.

Em essência, quanto mais você realiza várias tarefas ao mesmo tempo, mais danifica seu cérebro.

Para sair desse loop, descubra sua ÚNICA Coisa . Priorize implacavelmente sua vida para se concentrar apenas no essencial. O medo de não completar nossa lista de tarefas é a razão por trás de nosso hábito de multitarefa.

A solução não é trabalhar mais. A solução é reduzir a lista e manter apenas o que importa. Depois de fazer isso, você não sentirá mais a pressão de fazer dez coisas diferentes ao mesmo tempo.

Quando essa pressão é eliminada, seu foco e criatividade também aumentam, levando a um melhor resultado em menos tempo.

6. Sugarfree – “É dieta de açúcar livre ou dieta livre de açúcar?”

Quem diria que os excessos prejudicam o cérebro ein?

Vivemos em um mundo onde o açúcar está em toda parte. Não há alimentos processados ​​que não contenham açúcar de alguma forma – simplesmente porque é viciante e ajuda as marcas de alimentos a vender mais unidades.

Como consumidores, precisamos ter cuidado com esse fato. O consumo de açúcar pode levar a um aumento nos níveis de açúcar no sangue e então criar padrões anormais de fluxo sanguíneo no cérebro.

O consumo excessivo de açúcar às vezes pode levar também ao mau humor, depressão, memória fraca, baixa concentração e raciocínio mais lento.

Basicamente, seu cérebro terá um desempenho inferior e você nem saberá por quê.

Para controlar a ingestão de açúcar, sugiro registrar suas escolhas alimentares por um ou dois dias.

Como o açúcar é tão penetrante, ele pode acabar na sua boca antes que você perceba. Ao ser extremamente vigilante, verificar os rótulos e até mesmo evitar alimentos processados, você terá um bom começo.

Como acabar com estes hábitos que prejudicam o cérebro?

Esses foram alguns dos hábitos esquecidos que estão prejudicando seu cérebro a longo prazo. Em um ponto, eu provavelmente estava cedendo a todos os itens acima.

Mas depois de reduzir, me encontro mais produtivo, menos mal-humorado e muito mais feliz.

Junto com eles, não se esqueça dos princípios básicos de uma boa saúde cerebral – boa dieta, sono, beber bastante água, etc.

Cuidar de nossos cérebros é nossa responsabilidade. Vivermos nossas vidas de acordo com nossos caprichos e fantasias nem sempre é a melhor escolha!

O que você acha?

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

6 Pequenas coisas que você precisa fazer esta semana

Incêndios na Grécia

Incêndios na Grécia: imagens de tirar o fôlego