Moral da história: nunca confie em coelhos.