Imagine só quanta comida é necessária para alimentar todos os participantes das Olimpíadas do Rio de Janeiro. Agora pensa na quantidade que poderia ser desperdiçada? Em vez de simplesmente criticar, o chef de cozinha italiano Massimo Bottura viu uma oportunidade única: usar os alimentos que são descartados durante os jogos para ajudar a diminuir a fome de moradores de rua, e de quebra chamar a atenção para o combate ao desperdício de comida no mundo.

1

Juntamente com uma galerinha voluntária, ele montou o Refettorio Gastromotiva, nos arredores da Lapa, onde todos os alimentos são reaproveitados e distribuídos entre quem não pode pagar por eles. Vem ver!

Todas as noites, um menu sofisticado é montado, por ele e por outros chefs conhecidos internacionalmente. O mais bacana é que a questão é mais do que fazer caridade ou distribuir comida: trata-se de dar dignidade a essas pessoas, de ajudá-las como é possível. E ainda promover o conceito do uso racional dos recursos.

4

Produtos que estariam no lixo, como legumes com uma aparência imperfeita, ou iogurtes que seria jogados no lixo porque venceriam dali a dois dias, são orgulhosamente usados em pratos que fazem da noite dessas pessoas uma ocasião um pouco mais feliz.

2

O refeitório, um galpão feito de material translúcido, é um local aconchegante e acolhedor. Ali, equipes de voluntários se revezam na preparação dos menus, e na distribuição dos pratos.

3